10 livros sobre Jornalismo para download


Publicidade:

Aprenda mais sobre Jornalismo. Baixe dez livros sobre essa profissão a partir dos links em azul no decorrer desse post

Aprenda mais sobre Jornalismo. Baixe dez livros sobre essa profissão a partir dos links em azul no decorrer desse post

Há centenas de livros sobre Jornalismo para download na Web e, por isso, resolvi fazer uma coletânea de dez deles e disponibilizar seus links aqui no blog Jornalismo Freelance. Todos esses e-books estão em arquivo PDF e basta clicar nos links em azul para baixá-los. Confira: Leia mais deste post

10 dicas para quem quer trabalhar com jornalismo freelance


Você é estudante e está pensando em trabalhar com jornalismo freelance? Por que não começar agora? Observe essas dicas:

Levante hipóteses

Levante hipóteses

  1. Pauta: a primeira preocupação que um estudante deve ter – se pretende trabalhar com jornalismo freelance – é conseguir pautas. Ele deve escolher as editorias com as quais tem mais afinidade e, em cada uma delas, encontrar boas hipóteses. Se a editoria é “Saúde”, por exemplo, seria uma boa ideia levantar hipóteses sobre doenças provocadas pela nanotecnologia, pois trata-se de um assunto relativamente novo e pouco abordado. Muitos estudantes de jornalismo ficam sonhando em ter um escritório, fazem planos, colocam outras coisas no topo da lista, quando o que deveria estar lá é, única e simplesmente, a pauta. Sem ela não haverá trabalho a fazer; Leia mais deste post

10 escritórios coworking para a prática do jornalismo freelance


Os escritórios coworking são uma tendência do pós-modernismo. Eles estão se espalhando pelo Mundo afora e são ótimos para quem trabalha com jornalismo freelance ou para quem pretende alimentar seu blogue de jornalismo com boas matérias. Num escritório desse tipo um jornalista tem maior probabilidade de encontrar boas pautas, pois ele vai compartilhar um escritório com engenheiros, advogados, psicólogos e profissionais de várias outras áreas.

De Masi

De Masi

A saber, pós-modernismo é o nome que especialistas como o professor de Sociologia do Trabalho da Universidade La Sapienza de Roma, Domenico De Masi, dão à atual época em que vivemos. De acordo com De Masi, o pós-modernismo caracteriza-se pela globalização de tudo, pelo tempo livre, pela intelectualização, criatividade, estética e subjetividade, pelo minimalismo, emotividade, androginia e feminismo. E ainda, pela desestruturação do tempo e do espaço, pela qualidade de vida, pelo carisma, nomadismo e pelo teletrabalho.

Como veremos adiante, os escritórios coworking reúnem tecnologia, fluxo de ideias, sinergia, ambiente social, e tudo o mais que um jornalista freelance não encontra se estiver trabalhando num home office (escritório doméstico). Agora, observe as características do pós-modernismo segundo De Masi e, compare com as características dos escritórios coworking abaixo, depois tire suas próprias conclusões…

2Work

2work

2work

O 2Work está situado em Campinas, interior de São Paulo, mas seus dirigentes querem expardir a marca por todos os lugares. Atualmente o escritório oferece:

  • Salas de reunião;
  • Estações de trabalho;
  • Linhas de telefone personalizadas;
  • Divulgação de endereço;
  • Gaveta;
  • Internet banda larga e outros benefícios.

A empresa possui vários planos e eles vão desde a contratação de horários avulsos até períodos mensais. Para saber mais é só ligar no telefone (19) 3294-3111.

Leia mais deste post

10 livros “de” e “sobre” jornalismo lançados em 2010 e 2011


Depois de um longo tempo sem postar no blog Jornalismo Freelance, torno a fazê-lo, com uma coletânea de 10 sinopses de livros “de” e “sobre” jornalismo lançados em 2010 e 2011.

Para verificar os preços e comprar as obras, peço que não clique nas fotos das capas, mas no link do parceiro do blog Jornalismo Freelance, a seguir:

E pode acreditar, estamos no segundo dia do ano e já temos livros cuja primeira edição é 2011! Aqui apresento a síntese de um deles, por sinal, o que encabeça essa lista:

Foto: Livraria Cultura

Foto: Livraria Cultura

Nada Mais que a Verdade – A Extraordinária História do Jornal Notícias Populares

De Celso de Campos Jr – 1ª Edição: 2011

Vinte de janeiro de 2001. Um jogo de cena bem arquitetado esconde até os últimos minutos o segredo que exterminaria o Notícias Populares. Depois do fechamento da edição 13.413, em uma tocaia contra a redação, o velho diário paulistano terminaria como um cadáver estatelado no quinto andar do prédio do Grupo Folha – no boletim de ocorrências da história do jornalismo, vítima de um assassinato na rua Barão de Limeira, 425. Anos depois do último suspiro de um dos mais polêmicos dos periódicos brasileiros, ‘Nada mais que a verdade’ retorna em edição revista e ampliada, conduzindo o leitor por quatro décadas de uma ciranda de crimes, sexo, devaneios e jornalismo.

 

Foto: Livraria Cultura
Foto: Livraria Cultura

11 Gols de Placa – Uma Seleção de Reportagens

Organizado por Fernando Molica – 1ª Edição: 2010

O livro traz uma seleção de reportagens que ajudam a explicar muitas das mazelas do futebol. Os textos apresentados buscam dar um panorama do que ocorre nos bastidores e oferecem um painel desse esporte desde a década de 60, com as reportagens de João Máximo e de Michel Laurence. As reportagens apresentadas na obra são acompanhadas por relatos e comentários que mostram os bastidores da apuração, produzidos pelos jornalistas envolvidos na cobertura dos casos e em sua edição, como Marcos Penido e Juca Kfouri.

 

 

Foto: Livraria Cultura
Foto: Livraria Cultura

200 Anos de Imprensa no Brasil

Organizado por Sílvia C. P. de Brito Fonseca e Maria Letícia Correa – 1ª Edição: 2010

Organizado pelas pesquisadoras Maria Letícia Correa e Sílvia Brito Fonseca, este livro representa a consolidação de seminários que criaram tradição na UERJ desde a década de 1990. A partir da participação de dez estudiosos, desenvolvem-se textos que são importantes para a renovação da historiografia em torno de questões que entrelaçam periódicos e governos constitucionais, abolicionismo, sociabilidades, conflitos ideológicos e políticos, guerras, revoluções e relações culturais. O exercício crítico representado por esta obra demonstra a riqueza de temas que a imprensa e o impresso podem oferecer por meio do aprofundamento de noções e conceitos que certamente terão visibilidade e dialogarão com a diversidade temática que tem inspirado a historiografia brasileira dos últimos decênios. Os leitores deste livro, especialistas ou não, terão aqui diversas oportunidades de compreender como a imprensa é um instrumento primordial para compreender o homem contemporâneo.

 

Foto: Livraria Cultura
Foto: Livraria Cultura

Assalto ao Poder – O Crime Organizado

De Carlos Amorim – 1ª Edição: 2010

 
Livro reportagem que fala sobre o funcionamento das máfias nacionais e discorre como as máfias internacionais afetam o Brasil. Em ‘Assalto ao poder’, Carlos Amorim escreve sobre as facetas do crime organizado e faz uma análise da sociedade brasileira.
 
Neste volume, além de relatar como funcionam as grandes redes de crime internacionais e o impacto que elas provocam no país, Amorim ainda conta algumas experiências pessoais, tais como a oportunidade em que seu carro foi alvejado por uma bala perdida.

10 vantagens de se aderir aos serviços do jornalismo freelance


Há muitas vantagens em aderir aos serviços prestados pelo, vamos dizer, “setor” de jornalismo freelance. Um desses benefícios é a possibilidade de negociação de uma determinada tarefa. Nesse sentido, existe uma incrível liberdade para a troca de ideias, para a realização de trabalhos que quebram as regras dos manuais, para fazer coisas impossíveis de serem feitas em redações comuns.

A maior polêmica no jornalismo freelance é que a prática traz muitas vantagens para quem contrata e nem tantas para o contratado. Foto: Fotocromo

A maior polêmica no jornalismo freelance é que a prática traz muitas vantagens para quem contrata e nem tantas para o contratado. Foto: Fotocromo

Essa possibilidade de negociação pode trazer benefícios principalmente para o contratante. Mais adiante falaremos disso. Por enquanto, vamos dar uma espiada nos tipos de serviços concedidos pelo jornalismo freelance. Veja, a seguir, uma lista de tarefas que um jornalista freelance pode realizar por você ou pela sua empresa:

  • Cobertura em evento;
  • Produção de release e clipping;
  • Sugestão de pauta e produção de notícia;
  • Produção de reportagem curta e grande reportagem;
  • Produção de livro (“Escritor Fantasma” ou “Ghost Writer”);
  • Produção de apostila;
  • Produção de resenha;
  • Diagramação de revista;
  • Diagramação de livro;
  • Saída fotográfica;
  • Decupagem ou transcrição de arquivo de áudio e vídeo;
  • Boletim informativo;
  • Produção de revista segmentada;
  • Projeto editorial;
  • Produção de jornal segmentado;
  • Texto para publicação na internet;
  • Diagramação de folder, folheto e panfleto;
  • Produção de blog;
  • Aplicação de curso de diagramação;
  • Aplicação de curso de produção de livro;
  • Aplicação de curso de jornalismo na internet;
  • Aplicação de qualquer curso relacionado à área de jornalismo.

Esta pequena relação dá uma dimensão do tamanho da área de atuação de um jornalista freelance. Contudo, para quem ele trabalha? Quem são seus clientes? Vejamos: Leia mais deste post

Dez sites sobre fotografia em língua portuguesa e uma enquete


Fotojornalismo, fotografia, jornalismo freelance, proteção e direitos dos autores

Fique de olho em bons sites de fotografia e fotojornalismo

Aprimore a sua técnica!   Visite os sites abaixo e aprenda muito mais sobre a arte da fotografia e do fotojornalismo. Um jornalista freelance como você precisa beber em boas fontes.

No final, há uma enquete para que você possa votar nos três melhores sites, na sua valiosíssima opinião:

www.ngbrasil.com.br – Site com Reportagens fotográficas de todas as partes do mundo;

www.fotoclubeflorianopolis.com.br – Grupo fundado por alunos do Senac;

www.narua.org – Blog sobre fotojornalismo;

www.feirafotografar.com.br – Site de uma feira de fotografia que acontece em São Paulo;

www.espm.br – Site da Escola Superior de Propaganda e Marketing que ocasionalmente promove workshops de fotografia;

www.izanpetterle.com – Ensina o estilo fotográfico da National Geographic;

www.escolafocus.net – Escola que promove saídas fotográficas;

www.iso55.com – Promove workshops sobre fotografia automotiva. O site está temporariamente fora do ar, mas é possível acessar a página dos produtores no Flickr. Clique aqui para ver;

www.arfoc-sp.org.br – Associação de Repórteres Fotográficos e Cinematográficos do Estado de São Paulo;

www.fcg.art.br – Fotocineclub gaúcho.

Jornalista Freelance, leia mais sobre fotografia:
+
Saída fotográfica para Jundiaí;
+ Guia de fotografia traz 71 projetos para iniciantes
+ 10 cursos de fotografia online grátis e em português

%d blogueiros gostam disto: