Pe. Quevedo comenta o fenômeno de Nossa Senhora de Guadalupe


Entre os dias 9 e 12 de dezembro de 1531, no México, cerca de uma década após a chegada dos conquistadores espanhóis liderados por Hernán Cortez à América e da queda de Montezuma e seu Império Azteca, o índio Juan Diego – então com um nome espanhol, pois era um dos poucos índios convertidos ao catolicismo – tem uma série de visões de Nossa Senhora. Ela diz para que Juan Diego solicite ao bispo local que construa uma capela naquele exato lugar que, hoje sabe-se, trata-se do centro geográfico da América.

De acordo com a história, devido a relutância do bispo em acreditar no índio, a imagem de Nossa Senhora imprime-se misteriosamente num aiate – um  tipo de pano que é carregado constantemente pelos aztecas.

Desde então, cientistas do mundo inteiro puderam realizar análises no aiate de Juan Diego, que permanece conservado até hoje, quase 500 anos depois.

Publicidade:

O padre Oscar Gonzáles Quevedo – popularmente conhecido como padre Quevedo – comenta os misteriosos fenômenos do aiate de Juan Diego nessa entrevista realizada  no Centro Latino Americano de Parapsicologia (Clap) – www.clap.org.br – no dia 22 de fevereiro de 2010.

A entrevista foi realizada em vídeo, posteriormente editada em quatro partes e postada em naldogommes’s Channel.

Pelo fato de ter sido produzida para vídeo, algumas lacunas foram preenchidas com pequenas notas que a complementam. Essas notas estão sempre entre os sinais [ e ].

Boa leitura!
___________________________________________________________

Leia mais deste post

Anúncios

Homem caminha de Juazeiro do Norte até Aparecida para pagar uma promessa


Depois de caminhar 2.940.000 m – de acordo com seus cálculos – ele afirma que está apenas na metade do caminho e diz que vai voltar a pé. Aliás, já está voltando!
 

O autódromo de Interlagos, em São Paulo, tem 4.309 m (≈4 km) de extensão e o piloto de Fórmula 1, Rubens Barrichello, é a pessoa que o percorreu em menor tempo. De acordo com dados do website: http://www.autodromointerlagos.com/, Barrichello precisou de apenas 1min10s229 para dar uma volta completa no circuito com um carro da Ferrari.

O homem que segura uma estátua do padre Cícero ao lado é João Bezerra da Rocha. Ele diz ter percorrido 2.940.000 m (2.940 km) a pé, em 90 dias, caminhando de Juazeiro do Norte/CE até a cidade de Aperecida/SP, para pagar uma promessa que fizera a Nossa Senhora Aparecida.

Se Rubens Barrichello, num dia inspirado, resolvesse percorrer essa distância na mesma velocidade com que deteve o recorde da pista de Interlagos em 2004, ele demoraria 12h35min, tempo equivalente a disputar o Grande Prêmio de Interlagos, aproximadamente, dez vezes consecutivas, ou dar 682 voltas no circuito.

 

Fé em Deus e pé na estrada

 

 

Não é todo dia que a gente encontra com alguém como João Bezerra da Rocha. Pois em 31 de dezembro de 2009, quando cobria o sorteio da Mega-Sena da Virada 2009/2010 na estação da Luz, em São Paulo, o avistei e achei incomum uma pessoa posar com o padre Cícero como ele o fazia. Isso despertou minha curiosidade.

Leia mais deste post

%d blogueiros gostam disto: