10 vantagens de se aderir aos serviços do jornalismo freelance


Há muitas vantagens em aderir aos serviços prestados pelo, vamos dizer, “setor” de jornalismo freelance. Um desses benefícios é a possibilidade de negociação de uma determinada tarefa. Nesse sentido, existe uma incrível liberdade para a troca de ideias, para a realização de trabalhos que quebram as regras dos manuais, para fazer coisas impossíveis de serem feitas em redações comuns.

A maior polêmica no jornalismo freelance é que a prática traz muitas vantagens para quem contrata e nem tantas para o contratado. Foto: Fotocromo

A maior polêmica no jornalismo freelance é que a prática traz muitas vantagens para quem contrata e nem tantas para o contratado. Foto: Fotocromo

Essa possibilidade de negociação pode trazer benefícios principalmente para o contratante. Mais adiante falaremos disso. Por enquanto, vamos dar uma espiada nos tipos de serviços concedidos pelo jornalismo freelance. Veja, a seguir, uma lista de tarefas que um jornalista freelance pode realizar por você ou pela sua empresa:

  • Cobertura em evento;
  • Produção de release e clipping;
  • Sugestão de pauta e produção de notícia;
  • Produção de reportagem curta e grande reportagem;
  • Produção de livro (“Escritor Fantasma” ou “Ghost Writer”);
  • Produção de apostila;
  • Produção de resenha;
  • Diagramação de revista;
  • Diagramação de livro;
  • Saída fotográfica;
  • Decupagem ou transcrição de arquivo de áudio e vídeo;
  • Boletim informativo;
  • Produção de revista segmentada;
  • Projeto editorial;
  • Produção de jornal segmentado;
  • Texto para publicação na internet;
  • Diagramação de folder, folheto e panfleto;
  • Produção de blog;
  • Aplicação de curso de diagramação;
  • Aplicação de curso de produção de livro;
  • Aplicação de curso de jornalismo na internet;
  • Aplicação de qualquer curso relacionado à área de jornalismo.

Esta pequena relação dá uma dimensão do tamanho da área de atuação de um jornalista freelance. Contudo, para quem ele trabalha? Quem são seus clientes? Vejamos: Leia mais deste post

Anúncios

Sua história contada num livro por um “Ghost Writer” ou “Escritor Fantasma”


Hoje, 25 de julho de 2010, é dia do escritor. Essa data comemorativa surgiu na década de 1960 com o 1º Festival do Escritor Brasileiro, organizado por Jorge Amado e João Peregrino Júnior, autores de “Gabriela, Cravo e Canela” e “Histórias da Amazônia”, respectivamente.

Resumindo, é um belo dia para falar sobre “Ghost Writer” ou, se você preferir, em português, “Escritor Fantasma“.

25 de julho de 2010, Dia do Escritor. É um excelente dia para falar sobre o trabalho do "Ghost Writer" ou "Escritor Fantasma". Desenho: Zsuzsanna Kilian

25 de julho de 2010, Dia do Escritor. É um excelente dia para falar sobre o trabalho do “Ghost Writer” ou “Escritor Fantasma”. Desenho: Zsuzsanna Kilian

Nesse post, vou usar o termo aportuguesado “Escritor Fantasma”. Leia abaixo uma definição simples de seu significado:

Escritor fantasma é aquele que escreve uma determinada obra, mas não a assina. Quem assume a autoria dessa obra é um contratante.

Como você pode perceber, existe um “q” de mistério nessa ocupação e isso, por si só, já é empolgante. Tão empolgante que acabou se tornando tema de um filme. Acompanhe abaixo o trailer de “The Ghost Writer”:

Leia mais deste post

%d blogueiros gostam disto: