Três anos do blogue Jornalismo Freelance


Um presente especial para você: ganhe um livro impresso feito especialmente para estudantes de Jornalismo

Há três anos criei o blogue Jornalismo Freelance. Observando agora, não sei se sabia bem o que estava fazendo quando lhe dei este nome, pois descobri ao longo desse tempo que as questões que giram em torno desse ofício são bem mais complexas do que eu poderia compreender na época. Assim, aproveito para reforçar a importância de ouvir o que dizem os comunicólogos que já seguem esse caminho há mais tempo do que nós.

O blogue "Jornalismo Freelance" está entre os 100 mais votados no Concurso TopBlog.

O blogue “Jornalismo Freelance” está entre os 100 mais votados no Concurso TopBlog.

Por outro lado, a faculdade é o lugar da experimentação, da descoberta e não apenas do treinamento padronizado para uma profissão, o que justifica todos os enganos, ensaios e erros ao longo do caminho acadêmico (erros que podem se converter em acertos, diga-se de passagem).

De qualquer modo, este blogue teve mais de 50 mil acessos em três anos, o que é pouco, mas serviu para que eu pudesse expor meus trabalhos, uma vez que a faculdade não possuía uma revista laboratório que circulasse no campus.

Por causa da baixa quantidade de acessos, fiquei surpreso ao verificar que o Jornalismo Freelance está entre os 100 mais votados no Concurso TopBlog e concorrendo como finalista no 2º Turno. Bem, eu não sou político, mas se você curte este blogue, lê ou já leu uma ou mais matérias que aqui postei, então gostaria de pedir o seu voto. Para fazê-lo, clique sobre o selo marrom do TopBlog (acima, à direita)  e, na parte superior da página que se abrirá, vote por e-mail, Facebook e Twitter, para computar três votos. Desde já, agradeço.

Leia mais deste post

Anúncios

Três vídeos do YouTube sobre jornalismo freelance e jornalistas empreendedores


Estive vasculhando o YouTube à procura de vídeos sobre Jornalismo Freelance e jornalistas empreendedores e acabei encontrando três vídeos muito bons que agora compilo aqui neste post. Vale a pena assistir!

O YouTube possui alguns vídeos sobre jornalismo freelance e jornalistas empreendedores e, para encontrá-los, basta dar uma garimpada

O YouTube possui alguns vídeos sobre jornalismo freelance e jornalistas empreendedores e, para encontrá-los, basta dar uma garimpada

Vídeo 1

O primeiro deles é sobre a criação da Máquina da Notícia, atualmente uma das maiores assessorias de comunicação do Brasil. O Grupo máquina tem 16 anos de existência e possui uma extensa lista de clientes. Grandes clientes, diga-se de passagem. Ambev, Embratur e Xerox, são apenas alguns deles.

Ao longo de quase duas décadas o Grupo Máquina ganhou, na categoria “Melhor Agência de Comunicação”, seis prêmios da Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje) e três prêmios Comunique-se.

A jornalista empreendedora e fundadora do Grupo Máquina, Maristela Mafei, é entrevistada por Pedro Mello e o vídeo – dividido em três partes – foi publicado pelo Canal do Empreendedor, no YouTube. Confira: Leia mais deste post

Produtores do Guia NY para Mãos-de-Vaca mostram como empreender na Internet


Filósofo, escritor e blogueiro, o autor do “Guia Nova York para Mãos-de-Vaca” e do “Guia Roma para mãos-de-vaca“, Henry Alfred Bugalho, é um personagem que se destaca no mundo da Internet. Há dois anos ele já havia contribuído com o blog Jornalismo Freelance por meio da entrevista “Filósofo reflete sobre publicações na Internet“. Recentemente, ele foi um dos entrevistados pelo G1 para um ciclo de matérias relacionadas à Bienal do Livro – Rio, que rendeu a reportagem “Vendi 5 mil livros sem passar por livraria, diz autor de guia de NY“. Agora, ele volta a falar ao blog Jornalismo Freelance e, desta vez, aborda assuntos como, literatura, faturamento por meio de blogs e outros meios de sobrevivência alternativos.

Confira, ainda – no box publicado no decorrer dessa entrevista -, um diálogo com Denise Nappi, a co-autora do “Guia Nova York para Mãos-de-Vaca”, que dá dicas para estudantes sobre como pensar e viver para além dos muros da faculdade.

Naldo Gomes: Há quanto tempo você está trabalhando como blogueiro? Você já teve empregos com carteira assinada?

Henry Alfred Bugalho:

Vivendo exclusivamente da escrita há pouco mais de um ano. Antes disto era uma renda extra ao trabalho que eu fazia em Nova York. Só tive um trabalho com carteira assinada por três meses, trabalhando numa grande livraria de Curitiba. Fazia quase dois anos que eu esperava para ser convocado por um concurso público para professor de Filosofia, mas a grana apertou, arrumamos nossas trouxas e fomos embora do Brasil, ou seja, bye-bye concurso público!

Desconfio um pouco do rótulo de “blogueiro”, pois para mim o blog é apenas uma mídia como qualquer outra, como a TV, o jornal, o livro, a revista ou a rádio. Sou um escritor que, por força das circunstâncias, encontrei o meu público, o reconhecimento e a subsistência através de blogs, mas poderia ter sido por outra mídia também se as portas se abrissem mais facilmente aos produtores culturais em início de carreira.

Naldo: Que blogs são esses para os quais você escreve? Todos eles foram criados por você? Leia mais deste post

Melhores posts do blog Jornalismo Freelance em dois anos de atividade


Hoje, esse blog completa dois anos de atividade. Ele nasceu como uma ferramenta de publicação de textos acadêmicos provenientes do curso de Jornalismo da UniSant’Anna. Atualmente, segue com a mesma função. Isto é, ainda é um blog de um estudante, de um aprendiz.
Blog Jonalismo Freelance completa dois anos

Blog Jonalismo Freelance completa dois anos

Nomeei o blog com o título Jornalismo Freelance por achar que ele poderia servir como um portfólio ou porta de entrada para a profissão. Talvez tenha dado certo. Fiz alguns freelas nesse tempo, mas não sei se os editores levaram em conta as atividades acadêmicas que posto aqui. Não consegui mensurar isso. Leia mais deste post

Levantamento de dados sobre jornalismo e empreendedorismo realizado em três faculdades de São Paulo


Nos dias 13, 15 e 19, de setembro de 2011, realizei, respectivamente, na UniSant’Anna, na Fiam Faam e na ECA USP, um levantamento de dados a respeito do tema jornalismo e empreendedorismo. O assunto é parte do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) que estou iniciando nesse semestre.

A ideia era observar o interesse dos alunos em empreender na área de comunicação e verificar a viabilidade de um livro-reportagem sobre o tema.

Prometi aos alunos que participaram da pesquisa que divulgaria os resultados e o faço aqui, no blog jornalismo freelance, no qual posto trabalhos acadêmicos e matérias pessoais há dois anos.

A amostra de conveniência não é uma amostragem probabilística. Ela é feita com elementos que estavam a disposição do pesquisador. Foto: Thiago Miqueias

A amostra de conveniência não é uma amostragem probabilística. Ela é feita com elementos que estavam a disposição do pesquisador. Foto: Thiago Miqueias

É importante dizer que essa não é uma pesquisa rigorosa tal como as que são realizadas por institutos de pesquisa como o IBOPE. As amostras desse levantamento de dados foram feitas por conveniência, isto é, com os grupos a que tive acesso dentro das condições de tempo, custo e outros recursos. Isso significa que as amostras podem não representar a opinião de todo o conjunto de alunos das faculdades em questão com a mesma qualidade que uma amostra realizada em pesquisas eleitorais por renomados institutos de pesquisa abrange todo um país. Execessão feita à UniSant’Anna, onde a pesquisa se estendeu a mais de 50% dos alunos.

É bom dizer que os recursos, o tempo e a quantidade de pessoas envolvidas numa pesquisa realizada por grandes institutos é infinitamente maior do que os que foram empregados no levantamento de dados que apresento a seguir. Leia mais deste post

%d blogueiros gostam disto: