Gráficos do Google Insights mostram diminuição da procura por cursos de jornalismo


O Google Insights é uma ferramenta que calcula quantas vezes uma determinada palavra-chave foi inserida no motor de busca do Google. Os resultados fornecem dados que demonstram a tendência de procura na web por determinados termos no decorrer do tempo. Essas tendências virtuais podem coincidir com dados da vida real.

Para entender melhor como isso funciona – antes de refletir sobre a diminuição da procura pelos cursos de jornalismo – observe o gráfico abaixo. Ele representa as buscas pela palavra-chave “dengue”, de 2004 até 2011, com previsão (linha pontilhada) para 2012:

Gráfico do Google Insights para a palavra-chave "dengue"
Gráfico do Google Insights para a palavra-chave “dengue”

A título de comparação – para comprovar minha tese de que esses dados podem bater com os dados da vida real – vamos utilizar um gráfico de uma outra ferramenta do Google. O Google Trends Dengue:

Gráfico do Google Trends Dengue
Gráfico do Google Trends Dengue

Observe como os picos das linhas em azul do gráfico do Google Insights e do Google Trends Dengue são semelhantes. E observe também que, a linha cor de laranja representa os dados da vida real sobre a dengue, fornecidos pelo Ministério da Saúde.

Isso faz do Google Insights uma ferramenta muito interessante para a análise de tendências não apenas virtuais, mas reais. Apesar de o aplicativo não conseguir gerar gráficos para termos com poucas buscas como, por exemplo, as palavras-chave “jornalismo freelance” que dão título a esse blog, é possível gerar gráficos, bem como levantar informações regionais compatíveis com informações levantadas por instituições idôneas, como é o caso do Ministério da Saúde.

A diminuição das buscas pelos cursos de jornalismo

Agora que a credibilidade do Google Insights – como instrumento que gera informações compatíveis com o que ocorre na vida real por meio de termos inseridos no motor de busca do Google – foi parcialmente atestada, vejamos como a procura pelas palavras-chave “curso de jornalismo” tem diminuído desde 2004:

Gráfico do Google Insights para as palavras-chave "curso de jornalismo"
Gráfico do Google Insights para as palavras-chave “curso de jornalismo”

Poderíamos facilmente relacionar essa queda na procura com a queda da exigência do diploma para exercício da profissão. Aliás, isso se confirma no gráfico, posto que a partir da metade de 2009, ano em que o diploma de jornalismo deixou de ser obrigatório de acordo com decisão do Superior Tribunal Federal (STF), a procura cai de 40 pontos para 20.

No entanto, bem antes de 2009, a procura por cursos de jornalismo já vinha em queda livre. De 100 pontos em 2004, cai para 40, em 2009.

Esse desprestígio talvez possa ser explicado pela própria ascensão da web e das suas novas formas de ensino, não apenas em relação ao jornalismo, mas também no que diz respeito à criação de novos tipos de profissões, fato que pode estar gerando uma concorrência.

Veja a seguir um gráfico que mostra um aumento repentino a partir de 2007 nas buscas pelas palavras-chave “jornalismo à distância”:

Gráfico para as palavras-chave "jornalismo à distância"
Gráfico para as palavras-chave “jornalismo à distância”

No entanto, isso é apenas uma hipótese, já que essas palavras-chave podem representar tanto uma procura por cursos de jornalismo online quanto um tipo de jornalismo praticado com apuração feita à distância, por exemplo. O fato é que não há como saber o que a pessoa estava pensando quando digitou esses termos no motor de busca.

O retorno da exigência do diploma para o exercício do jornalismo será possível?

Dois anos depois da queda da exigência do diploma para o exercício do jornalismo, seguem no Senado e na Câmara dos Deputados, duas Propostas de Emenda à Constituição (PEC):

  • No Senado: PEC de autoria do Senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE):
Senador Antonio Carlos Valadares

Senador Antonio Carlos Valadares

SF PEC 33/2009 de 2 de julho de 2009:
Acrescenta o art. 220-A à Constituição Federal, para dispor sobre a exigência do diploma de curso superior de comunicação social, habilitação jornalismo, para o exercício da profissão de jornalista.

  • Na Câmara dos Deputados: PEC de autoria do Deputado Paulo Pimenta (PT-RS)
Deputado Paulo Pimenta

Deputado Paulo Pimenta

PEC 386/2009 de 8 de julho de 2009:
Altera dispositivos da Constituição Federal para estabelecer a necessidade de curso superior em jornalismo para o exercício da profissão de jornalista.

A briga é a seguinte: os sindicatos e federações de jornalismo querem a volta da exigência do diploma para o exercício do ofício de jornalismo. Já as empresas de comunicação fazem pressão para que as duas PECs acima não sejam votadas.

Os sindicatos dizem que a não obrigatoriedade do diploma coloca nas mãos dos veículos de comunicação o poder de transformar em jornalistas as pessoas que eles bem entenderem. Até antes de 2009, esse papel de decidir quem poderia ser jornalista ou não era realizado pelo Ministério da Educação e pelo empenho do aluno em se desenvolver durante um curso. Além disso, a queda do diploma desvaloriza a profissão e provoca o encolhimento dos salários.

Mas uma coisa é certa, para que a procura por cursos de jornalismo volte a se aquecer, é bom que essas PECs sejam votadas em breve e que, dessa vez, a votação seja favorável aos jornalistas e ao povo.

Anúncios

Sobre Naldo
Jornalista e escritor.

2 Responses to Gráficos do Google Insights mostram diminuição da procura por cursos de jornalismo

  1. Tayná says:

    Lembro-me sempre de quando nosso “querido” Sarney comparou a profissão do Jornalismo com a de Gastronomia dizendo que para você ser um jornalista basta saber escrever bem, assim como para ser cozinheiro basta saber cozinhar.
    Venhamos e convenhamos que nós, estudantes de jornalismo ou futuros estudantes sabemos que não é bem assim que as coisas funcionam.
    Agora um professor de português ou uma pessoa que saiba escrever corretamente pode ser jornalista, tomando então num emprego o lugar que por direito deveria ser nosso!
    Para o lado das empresas de comunicação isso é bom, pois eles não precisam pagar o salário que um jornalista FORMADO deveria receber!
    A votação para que toda essa sutiação mude, está demorando muito tempo.
    Como fica a situação dos estudantes, nessa espera por uma “resposta” que talvez possa ser negativa?
    Enquanto nós estudamos para passar de ano na faculdade, ou para passar no vestibular de jornalismo, a maioria dos políticos estão muito bem de vida. Afinal o problema não é “deles” e nem com eles não é?
    Precisamos, mudar essa situação. Pois não é nada feliz saber que a profissão que tanto sonhamos em exercer está sendo desvalorizadas por pessoas que podem ser consideradas ignorantes!

    • Naldo says:

      Pois é, Tayná. Eu também espero que eles possam votar logo o retorno do diploma.

      Ouço muita gente dizer que há mais de uma dúzia de países nos quais o diploma de jornalismo também não é exigido. Mas isso não significa que o Brasil precisa seguir essa fila, não é?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: