Melhores posts do blog Jornalismo Freelance em dois anos de atividade


Hoje, esse blog completa dois anos de atividade. Ele nasceu como uma ferramenta de publicação de textos acadêmicos provenientes do curso de Jornalismo da UniSant’Anna. Atualmente, segue com a mesma função. Isto é, ainda é um blog de um estudante, de um aprendiz.
Blog Jonalismo Freelance completa dois anos

Blog Jonalismo Freelance completa dois anos

Nomeei o blog com o título Jornalismo Freelance por achar que ele poderia servir como um portfólio ou porta de entrada para a profissão. Talvez tenha dado certo. Fiz alguns freelas nesse tempo, mas não sei se os editores levaram em conta as atividades acadêmicas que posto aqui. Não consegui mensurar isso. Leia mais deste post
Anúncios

Levantamento de dados sobre jornalismo e empreendedorismo realizado em três faculdades de São Paulo


Nos dias 13, 15 e 19, de setembro de 2011, realizei, respectivamente, na UniSant’Anna, na Fiam Faam e na ECA USP, um levantamento de dados a respeito do tema jornalismo e empreendedorismo. O assunto é parte do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) que estou iniciando nesse semestre.

A ideia era observar o interesse dos alunos em empreender na área de comunicação e verificar a viabilidade de um livro-reportagem sobre o tema.

Prometi aos alunos que participaram da pesquisa que divulgaria os resultados e o faço aqui, no blog jornalismo freelance, no qual posto trabalhos acadêmicos e matérias pessoais há dois anos.

A amostra de conveniência não é uma amostragem probabilística. Ela é feita com elementos que estavam a disposição do pesquisador. Foto: Thiago Miqueias

A amostra de conveniência não é uma amostragem probabilística. Ela é feita com elementos que estavam a disposição do pesquisador. Foto: Thiago Miqueias

É importante dizer que essa não é uma pesquisa rigorosa tal como as que são realizadas por institutos de pesquisa como o IBOPE. As amostras desse levantamento de dados foram feitas por conveniência, isto é, com os grupos a que tive acesso dentro das condições de tempo, custo e outros recursos. Isso significa que as amostras podem não representar a opinião de todo o conjunto de alunos das faculdades em questão com a mesma qualidade que uma amostra realizada em pesquisas eleitorais por renomados institutos de pesquisa abrange todo um país. Execessão feita à UniSant’Anna, onde a pesquisa se estendeu a mais de 50% dos alunos.

É bom dizer que os recursos, o tempo e a quantidade de pessoas envolvidas numa pesquisa realizada por grandes institutos é infinitamente maior do que os que foram empregados no levantamento de dados que apresento a seguir. Leia mais deste post

Três referências em jornalismo freelance


Estive lendo alguns textos do escritor e mestre do empreendedorismo brasileiro, Fernando Dolabela, e tive a ideia de produzir esse post que você está lendo agora quando Dolabela comentou que todo empreendedor tem suas referências.

Da esquerda para a direita, os jornalistas Maurício Oliveira, Juliana Cunha e João Marcos Rainho, boas referências em jornalismo freelance

Da esquerda para a direita, os jornalistas Maurício Oliveira, Juliana Cunha e João Marcos Rainho, boas referências em jornalismo freelance

Apesar de eu não ser um empreendedor nato, mas apenas um estudante buscando um caminho dentro do jornalismo, tenho uma pequena lista de referências de jornalistas empreendedores. Ela é constituída por pessoas – cada uma no seu estilo – que disseram coisas indispensáveis para quem quer encontrar um rumo trabalhando com jornalismo freelance. Confira:

Referência 1: Juliana Cunha Leia mais deste post

10 dicas para quem quer trabalhar com jornalismo freelance


Você é estudante e está pensando em trabalhar com jornalismo freelance? Por que não começar agora? Observe essas dicas:

Levante hipóteses

Levante hipóteses

  1. Pauta: a primeira preocupação que um estudante deve ter – se pretende trabalhar com jornalismo freelance – é conseguir pautas. Ele deve escolher as editorias com as quais tem mais afinidade e, em cada uma delas, encontrar boas hipóteses. Se a editoria é “Saúde”, por exemplo, seria uma boa ideia levantar hipóteses sobre doenças provocadas pela nanotecnologia, pois trata-se de um assunto relativamente novo e pouco abordado. Muitos estudantes de jornalismo ficam sonhando em ter um escritório, fazem planos, colocam outras coisas no topo da lista, quando o que deveria estar lá é, única e simplesmente, a pauta. Sem ela não haverá trabalho a fazer; Leia mais deste post

10 escritórios coworking para a prática do jornalismo freelance


Os escritórios coworking são uma tendência do pós-modernismo. Eles estão se espalhando pelo Mundo afora e são ótimos para quem trabalha com jornalismo freelance ou para quem pretende alimentar seu blogue de jornalismo com boas matérias. Num escritório desse tipo um jornalista tem maior probabilidade de encontrar boas pautas, pois ele vai compartilhar um escritório com engenheiros, advogados, psicólogos e profissionais de várias outras áreas.

De Masi

De Masi

A saber, pós-modernismo é o nome que especialistas como o professor de Sociologia do Trabalho da Universidade La Sapienza de Roma, Domenico De Masi, dão à atual época em que vivemos. De acordo com De Masi, o pós-modernismo caracteriza-se pela globalização de tudo, pelo tempo livre, pela intelectualização, criatividade, estética e subjetividade, pelo minimalismo, emotividade, androginia e feminismo. E ainda, pela desestruturação do tempo e do espaço, pela qualidade de vida, pelo carisma, nomadismo e pelo teletrabalho.

Como veremos adiante, os escritórios coworking reúnem tecnologia, fluxo de ideias, sinergia, ambiente social, e tudo o mais que um jornalista freelance não encontra se estiver trabalhando num home office (escritório doméstico). Agora, observe as características do pós-modernismo segundo De Masi e, compare com as características dos escritórios coworking abaixo, depois tire suas próprias conclusões…

2Work

2work

2work

O 2Work está situado em Campinas, interior de São Paulo, mas seus dirigentes querem expardir a marca por todos os lugares. Atualmente o escritório oferece:

  • Salas de reunião;
  • Estações de trabalho;
  • Linhas de telefone personalizadas;
  • Divulgação de endereço;
  • Gaveta;
  • Internet banda larga e outros benefícios.

A empresa possui vários planos e eles vão desde a contratação de horários avulsos até períodos mensais. Para saber mais é só ligar no telefone (19) 3294-3111.

Leia mais deste post

Gráficos do Google Insights mostram diminuição da procura por cursos de jornalismo


O Google Insights é uma ferramenta que calcula quantas vezes uma determinada palavra-chave foi inserida no motor de busca do Google. Os resultados fornecem dados que demonstram a tendência de procura na web por determinados termos no decorrer do tempo. Essas tendências virtuais podem coincidir com dados da vida real.

Para entender melhor como isso funciona – antes de refletir sobre a diminuição da procura pelos cursos de jornalismo – observe o gráfico abaixo. Ele representa as buscas pela palavra-chave “dengue”, de 2004 até 2011, com previsão (linha pontilhada) para 2012:

Gráfico do Google Insights para a palavra-chave "dengue"
Gráfico do Google Insights para a palavra-chave “dengue”

A título de comparação – para comprovar minha tese de que esses dados podem bater com os dados da vida real – vamos utilizar um gráfico de uma outra ferramenta do Google. O Google Trends Dengue:

Gráfico do Google Trends Dengue
Gráfico do Google Trends Dengue

Observe como os picos das linhas em azul do gráfico do Google Insights e do Google Trends Dengue são semelhantes. E observe também que, a linha cor de laranja representa os dados da vida real sobre a dengue, fornecidos pelo Ministério da Saúde.

Isso faz do Google Insights uma ferramenta muito interessante para a análise de tendências não apenas virtuais, mas reais. Apesar de o aplicativo não conseguir gerar gráficos para termos com poucas buscas como, por exemplo, as palavras-chave “jornalismo freelance” que dão título a esse blog, é possível gerar gráficos, bem como levantar informações regionais compatíveis com informações levantadas por instituições idôneas, como é o caso do Ministério da Saúde.

A diminuição das buscas pelos cursos de jornalismo Leia mais deste post

%d blogueiros gostam disto: