Saída fotográfica para Jundiaí


No último sábado (30) fui à cidade de Jundiaí com o objetivo de dar os primeiros passos na arte de fotografar. Utilizei como base o livro “Guia Completo de Fotografia” de John Hedgecoe para fazer as composições. Para saber mais sobre esse manual, clique aqui.

Utilizei a câmera Canon PowerShot A640 nesse projeto. Clique aqui para saber mais sobre esse equipamento.

Nesse tópico vou postar fotografias de 600 x 450 pixels. Para baixar os arquivos originais dessas fotografias – em alta definição – clique aqui.

Como fiquei muito feliz com as fotografias que tirei em preto e branco, vou começar por elas:

Preto e branco: A ferrovia é algo que faz parte da história de Jundiaí. A estrada de ferro denominada “Santos – Jundiaí” foi inaugurada em 1867. Antes disso, o local era habitado por indígenas . Na cena retratada, havia cores confusas nos vagões e na vegetação, então, decidi fotografar em preto e branco para eliminar esse problema. Postei a câmera bem perto do chão para captar as pedras que acompanham toda a trajetória dos trilhos. Isso acabou mantendo o aspecto real de precariedade do lugar, pois mostra a vegetação descuidada e um trem antigo, aparentemente abandonado. Dados da fotografia: Exposição: 1/250s Abertura: f/6.3 Comprimento focal: 15mm.

 

Preto e branco com formas geométricas: Nessa foto decidi manter o preto e branco apenas para mostrar o aparente abandono do local e dos objetos que ali estão. Contudo, é uma cena que contém certa dose de ordem e caos, já que os dormentes estão cuidadosamente amontoados, ao mesmo tempo em que a vegetação está descuidada, há uma poça d’água e pedaços de madeira jogados ao chão. A geometria está no trilho que conduz o olhar para o carrinho, onde estão alguns dormentes retangulares dispostos horizontalmente, tal como as linhas do prédio à direita. Dados da fotografia: Exposição: 1/250s Abertura: f/6.3 Comprimento focal: 8mm.

 

Formas geométricas: As formas geométricas desses containers me chamaram a atenção, mas o resultado final da fotografia não me agradou muito. Eu poderia ter diminuído o tempo do obturador de 1/125 para 1/225s – por exemplo – e assim, evitaria a superexposição das nuvens no lado esquerdo da foto e na quina direita do container mais alto, ao mesmo tempo em que, reduziria o efeito de movimento das rodas do automóvel e traria mais formas geométricas para a composição final. Os fios elétricos produziram uma espécie de ruído na fotografia e eu poderia ter tido um pouco mais de paciência para encontrar a angulação correta. Dados da fotografia: Exposição: 1/125s Abertura: f/8 Comprimento focal: 7mm.

 

Formas geométricas: Aqui, me aproximei um pouco mais, mas penso que poderia ter chegado ainda mais perto para eliminar a vegetação que aparece no rodapé da foto. O problema da superexposição permanece e surge uma aparente inclinação no lado esquerdo dos containers. Dados da fotografia: Exposição: 1/125s Abertura: f/3.2 Comprimento focal: 8mm.

 

Textura: A textura dos tijolos de barro faz parte das muitas ruínas da cidade de Jundiaí. Essa é uma pequena casa com bombas d’água utilizada no passado, possivelmente para apagar incêndios. Ela fica bem na frente da TVE Jundiaí e como eu tive que fotografar entre as barras de ferro de uma grade, a composição ficou bem torta. Dados da fotografia: Exposição: 1/100s Abertura: f/8 Comprimento focal: 11mm.

 Profundidade: Fui até um dos locais mais altos da cidade a focalizei a lente na cerca propositalmente. Assim, ao acompanhá-la com os olhos chega-se a um pedaço da Serra do Japi ao lado esquerdo, no fundo. No lado direito está o centro da cidade. Essa composição proporciona uma sensação de profundidade. Dados da fotografia: Exposição: 1/640s Abertura: f/4 Comprimento focal: 7mm.

 

É  isso! Essa é a primeira saída fotográfica que faço e penso que serviu para aprender a controlar melhor o obturador e o diafragma da câmera, bem como a angulação.

Anúncios

Sobre Naldo
Jornalista e escritor.

3 Responses to Saída fotográfica para Jundiaí

  1. Pingback: Dez sites sobre fotografia em língua portuguesa e uma enquete « Jornalismo Freelance

  2. adorei as fotos!

    • Naldo says:

      Muito obrigado, Thaís. Valeu pelos comentários. Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: