Guia de fotografia traz 71 projetos para iniciantes


Um livro escrito para as câmeras analógicas, mas que cai muito bem para as modernas máquinas digitais

Existem muitas publicações sobre fotografia no mercado, mas nenhuma como o “Guia Completo de Fotografia”, do fotógrafo, autor de mais de 30 livros e professor emérito no Royal College of Art, John Hedgecoe. Este trabalho traz 71 projetos para iniciantes e mais de 400 fotografias e ilustrações, com exemplos para composições em preto e branco, em cores, perspectiva, fotos de pessoas e de grupos, trabalhos de personalidade e expressão, entre outros. O único problema – mas não tão relevante – é que se trata de uma publicação de 1996, quando a fotografia digital ainda estava em gestação e, portanto, todas essas dicas foram escritas para a fotografia clássica, analógica.

As primeiras páginas mostram dicas de angulação, foco, tema, truques de luz. Há instruções para usar o guia, com indicações para a maneira como as páginas que contêm os projetos foram editadas.

No capítulo “Técnicas Básicas”, Hedgecoe ensina o funcionamento da câmera. Não a digital, mas a analógica. Mas isso não é motivo para não ler, pois o funcionamento das duas é parecido. Ambas possuem diafragma e obturador, o básico das máquinas. A parte onde os filmes são comentados é curta e pode ser pulada, mas não custa nada dar uma espiada porque pode ajudar a entender os controles de luz das máquinas digitais, entre outras coisas. Também é interessante dar uma olhada nos textos sobre a escolha das objetivas, da abertura e da velocidade, bem como nos estudos sobre o flash e a cor.

Feito isso, você estará apto para ler a parte mais saborosa desse livro. O recheio da bolacha, eu diria. Estou falando dos 71 projetos, divididos em “Os Elementos Essenciais”, “Gente”, “Lugares”, “Natureza Morta”, “O Mundo Natural” e “Ação”.

Na primeira parte, intitulada “Os Elementos Essenciais”, há demonstrações sobre as formas planas, geométricas, dinâmicas e silhuetas. O direcionamento da luz para a produção de fotografias com formas dotadas de profundidade é comentado. O trabalho com texturas, padrões, contraste de cores e cores impactantes, o uso contido da cor e a cor difusa, o uso dos tons claros e escuros, o preto e branco, a perspectiva, a moldura, os enquadramentos incomuns e o realce de elementos, são parte da gama de exemplos citados nesse tópico.

Em “Gente”, Hedgecoe dá amostras de retratos com luz natural, fotos com luz disponível, a composição de fotografias de grupos, telas e superfícies refletoras, o posicionamento no quadro, a personalidade como expressão, retratos informais de rua, fotos de crianças, de casamentos, eventos públicos e o aprimoramento da imagem por meio de variações sobre um tema, do uso da sombra a da iluminação de fundo.

No tópico “Lugares”, o guia traz dicas sobre as mudanças da cor em diferentes horas do dia, as variações de uma fachada, o ângulo, a atmosfera do lugar, a paisagem monocromática, a luz natural e suas variações, imagens do sol, condições de tempo adversas, realces do céu, fotos noturnas e crepusculares, paisagens industriais, urbanas, lugares especiais, arquitetura e interiores.

O módulo “Natureza Morta” mostra os temas produzidos e os não produzidos artificialmente, os materiais problemáticos e a fotografia de alimentos.

O “Mundo Natural” trata de projetos sobre animais e vegetação como: um dia na fazenda, flores e jardins, a fotografia de bichos em torno da casa, zoológicos e reservas, pássaros e o uso de equipamentos especiais como objetivas macro.

O último bloco de projetos traça comentários sobre fotos de “Ação”, trata de movimentos, congelamento de imagens, captação com flash, efeitos e impressões de ação, eventos e esportes.

Nas 18 páginas finais o guia mostra como ampliar as opções da câmera. Essas informações valem a pena ser lidas apenas a título de curiosidade e aprofundamento, a menos que você tenha uma câmera analógica, pois há descrições sobre os laboratórios e estúdios caseiros, o uso de produtos químicos de revelação, a montagem de fotografias com uso de tesoura e cola, as apresentações com slides, a identificação de erros em filmes e os filtros coloridos. O capítulo também explica como escolher um equipamento, o que é praticamente inútil se você usa uma câmera digital.

Apesar disso, o “Guia Completo de Fotografia” é ótimo para iniciantes, pois ensina os conceitos básicos das câmeras e propõe projetos desafiadores que funcionam como exercícios prazerosos para quem ama fotografia. Eu mesmo vou utilizar as técnicas que aprendi nesse livro nas viagens fotográficas que farei em breve para as cidades de Embu das Artes, Santana do Parnaíba e Jundiaí.

+ Informações:
* Clique aqui para baixar essa resenha em arquivo “.pdf”.

Anúncios

Sobre Naldo
Jornalista e escritor.

3 Responses to Guia de fotografia traz 71 projetos para iniciantes

  1. Rogério says:

    esse livro é uma jóia rara irmão, eu o herdei de meu padrasto e sou muito grato por isso !

  2. Pingback: Dez sites sobre fotografia em língua portuguesa e uma enquete « Jornalismo Freelance

  3. Pingback: Saída fotográfica para Jundiaí « Naldo Gomes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: